Um estudo de várias emoções


.

São três traduções curtas:

- um poema do Novalis, misteriosa brasa sempre;

- um famosíssimo poema do Pushkin, onde o que me atrai é a estrutura tesa tão mais elegante e dura que os derramamentos dos nossos românticos;

- um quase arabesco do Pound pré-Cantares, mas já livre dos arcaísmos com que ele se lançara, onde a sintaxe, no final, se curva pra dentro de si, logopaica, e quase vira um varal melódico a la Satie.

Além desses três, apresento minha versão dos oito primeiros poemas de Caio Valério Catulo, porque as traduções existentes me parecem sisudas demais, e refletem pouco o esmero que ele (e sua coterie de poetas novos, fãs de Calímaco) considerava sua meta máxima.

 

 

[Se não conseguir ver o PDF, baixe o plugin aqui]

 

 

.

 

Alvaro A. Antunes mora e trabalha no Reino Unido, desde 1989. É tradutor e professor de ciência da computação na Universidade de Manchester (www.cs.man.ac.uk/~alvaro). Publicou pela extinta Interior Edições: The Aspern Papers/Os Papéis de Aspern (Henry James); The Hunting of the Snark/A Caça ao Turpente (Lewis Carroll); Canti/Cantos (Giacomo Leopardi) e uma recriação indireta dos fragmentos de Safo. Publicou, também, uma tradução de The Seafarer (Ezra Pound), no SLMG. E-mail:  a.fernandes@manchester.ac.uk




Comente o texto


*

Comente tambm via Facebook