Raposa nomeada chefe do galinheiro


Por Redação, PublishNews -

Marino Massimo de Caro não entendeu o que significava ser diretor da biblioteca mais antiga de Nápoles, quando, em Junho de 2011, foi nomeado pelo ministro da Cultura Lorenzo Ornaghi. Responsável pela segurança dos 170 mil livros da coleção da Biblioteca Girolamini, alguns deles centenários, decidiu vendê-los. Foi preso em Maio de 2012. Só na histórica instituição de Nápoles Caro roubou mil livros, mas o The Art Newspaper relatou agora que a operação teria sido muito mais ampla do que se acreditava. Mais de um ano depois de o alerta ter sido dado pelo historiador de arte Tomaso Montanari, Caro, juntamente com 14 cúmplices detidos, confessou ter roubado mais livros da Biblioteca dell’Osservatorio Ximeniano e da Biblioteca Scolopica San Giovannino, ambas em Florença. Os investigadores estão ainda investigandoos alegados roubos de outras bibliotecas nacionais de Florença, Roma e Nápoles.