GLAUCO MATTOSO e as manifestações


SONETO DA MANIFESTAÇÃO DE REVOLTA [1272]

Sahindo do trabalho, à faculdade
pretende chegar cedo o rapazola.
Qual nada! No trajecto para a eschola,
fogosa multidão a rua invade!

Mais uma passeata na cidade
ja bem congestionada… Não controla
ninguem a situação, que ja extrapola,
e nada os baderneiros dissuade.

Os omnibus não andam. Desembarca
o joven passageiro e, revoltado
por causa dessas aulas que desmarca,

adhere ao movimento que, inflammado,
depreda e quebra tudo! Mas tem parca
noção de onde se encontra, ou de que lado…