FLORIANO MARTINS e as manifestações (trecho)


“O Estado, do ponto de vista de sua administração central, está falido (incapaz até mesmo de refrear o retorno de um velho fantasma nosso, o da inflação). Dele não temos mais o que esperar. O altíssimo grau falacioso do discurso da Presidente deu o tom final de ausência completa de empatia com os problemas reais, vitais, da população e igualmente a certeza de que não haverá seriedade sequer em tentar compreendê-los, quanto mais em solucioná-los.”