Enorme coincidência


seu infinito luar de esmeralda selvagem.Por sobre ela, um pouco mais atrás, azul, esculpida com todas as nuvens captadas do céu, observávamos, no meio de gritos de alegria, de risadas desbocadas e de cânticos de roda e espiral, a Terra cheia, vagando no espaço com um ponto de luz de uma imensa magnitude v
agando por seus mares…que não era outra coisa senão essa cidade-ponto simultânea que aqui nós chamamos de Wuêé… Ou seja, a mesma idéia central desse recente ,aclamado e premiado, filme ianque neste fotograma literário de meu romance fantástico de 1997. Os habitantes de Wuêé, uma cidade nômade e inefável, vêem a réplica luminosa de sua Wuee vagando numa outra Terra que se aproxima da Terra suspensa sobre o mar.Another Earth.Uma outra Terra.