Eça de Queiroz, HOJE!


“A cada momento cruzávamos esses Fariseus ressoantes e vazios como tambores que vêm do Templo assoalhar a sua piedade – uns com as costas vergadas, esmagadas pela vastidão do pecado humano; outros tropeçando e apalpando o ar, d’olhos fechados para não ver as formas impuras das mulheres; alguns mascarados de cinza, gemendo com as mãos apertadas sobre o estômago – em testemunho dos seus duros jejuns”.