• Diálogos Críticos

    Por Redação
    Em 19/09/2015

    Confira, a partir do minuto 52, a extraordinária fala e diálogo com o professor aposentado de Literatura da USP, João Adolfo Hansen. O papo faz parte de um projeto de discussões críticas na Casa das Rosas, mediado pelo poeta e editor do Musa Rara, Edson Cruz.

Comentários (4 comentários)

  1. Maria Lindgren, O professor João Adolfo Hansen me fez muito bem por sua ironia fina ao definir e explicar o significado de Cultura. Calmo e irônico, ele reaviva e reafirma nossos valores. Que venham outros como este belo prof de literatura!
    21 setembro, 2015 as 19:00
  2. E.M. de Melo e Castro, Caro Prof. Adolfo Hansen, A sua resposta à minha pergunta é lamentavelmente desajustada ao mundo transnacional em que vivemos agora! É pelo menos ridícula porque a necessidade de “matar o pai” (Portugal) é um sintoma desajustado de menoridade patológica (vide Freud). Mas também porque em 2015, ainda considerar válidas as opções teóricas de há um século atrás (positivismo e realismo) manifesta pelo menos um concervadorismo anacrónico e retrógado! O Barroco é um fenómeno cultural que existiu e existe em várias épocas e países, sem necessitar de ser nomeado! Se o Sr. Prof. considera que no Brasil não existiu Barroco, pior para si, porque talvez por isso não vê Futuro para o pais que é o seu… É que o Brasil é um enorme repositório de circunstâncias barrocas e como isso é respeitado no mundo cultural de AGORA, sobretudo nas artes e na poesia !
    23 setembro, 2015 as 18:44
  3. Marco Aqueiva, Por que interessa estudar coisas antigas? Homero, Sófocles e Platão tinham algo a dizer. E hoje poetas e escritores não têm nada a dizer? Onde estão uns e outros? Diante da crise das humanidades que arrasta a produção literária do passado e do presente à vala comum da indústria cultural é relevante (imprescindível mesmo!) contar com a palavra que resiste. Como a de poetas, escritores e estudiosos da estatura de João Adolfo Hansen.
    25 setembro, 2015 as 1:32

Comente o texto


*

Comente tambm via Facebook
Musa na Mesa