Bloomsday 2015


.

Dia 16 de junho é comemorado o Bloomsday, data em homenagem ao escritor irlandês James Joyce, criador do romance Ulysses, um dos marcos da história da literatura mundial. O termo vem do nome Leopold Bloom, personagem central do livro. Para celebrar a 28ª edição do evento, em São Paulo, o museu Casa Guilherme de Almeida promove atividades especiais nos dias 13 e 16 do mês, com a parceria do Finnegan’s Pub, onde o Bloomsday nasceu em São Paulo.

O evento deste ano traz filmes, comentários, leituras, música e performances evocando Molly Bloom e as garçonetes do capítulo das “Sereias”, do romance Ulysses

O Ulysses, considerado por muitos o romance mais importante e inovador da literatura ocidental publicado no século XX, tem fama de difícil. Embora complexa, a obra também se mostra bastante divertida para os que se dispõem a lê-la e a surpreender-se com a estranheza que o texto ainda desperta. Considerado obsceno no período de sua publicação – chegando a ser proibido na Inglaterra e nos Estados Unidos – o livro tem no erotismo um de seus elementos fundamentais. O Bloomsday 2015 evoca esse aspecto de Ulisses por meio do capítulo que, na livre paródia da Odisseia criada por Joyce, corresponde ao episódio das Sereias na epopeia homérica: nele as “sereias” são as senhoritas Douce (“Bronze”) e Kennedy (“Ouro”), garçonetes do bar do Hotel Ormond, em Dublin, que serão vividas por atrizes no Finnegan´s Pub. Mas o ponto culminante do romance também será lembrado: o monólogo final da sensual Molly, esposa infiel de Bloom, será objeto de uma performance no Anexo da Casa Guilherme de Almeida, após a exibição de filmes baseados em Ulysses.

 

Confira a Programação:

.

Bloomsday 2015

O evento deste ano traz filmes, comentários, leituras, música e performances evocando Molly Bloom e as garçonetes do capítulo das “Sereias”, do romance Ulisses

Celebração anual da obra de James Joyce
Coordenação de Marcelo Tápia e Ivan de Campos

Ulysses e o cinema
13 de Junho de 2015, às 15h
Local: Casa Guilherme de Almeida Anexo (Rua Cardoso de Almeida, 1943)

Duas versões cinematográficas do romance Ulysses, de James Joyce, serão apresentadas e discutidas no anexo da Casa Guilherme de Almeida: da primeira produção, Ulysses, de 1967 (dirigida por Joseph Strick), serão vistos trechos, aos quais se seguirá, na íntegra, o filme Bloom, de 2003 (dirigido por Sean Walsh).

Performance de encerramento:

“Sim, eu quero sim”

A atriz Isabela Mariotto (do grupo Teatro da Peste) encarna Molly Bloom, apresentando a parte final do famoso monólogo da personagem de Ulysses.

Após a performance, será oferecida degustação de Jameson Irish Whiskey.

.
Participação no Bloomsday do Rio de Janeiro: A convite dos organizadores do Bloomsday, que acontecerá na Faculdade de Letras da UFRJ, o poeta, professor e diretor da Casa Guilherme de Almeida, Marcelo Tápia fará uma intervenção de 30 minutos por Skype, no dia 16 de junho, às 12h30min, sobre a história do evento no Brasil.

 

Sobre o Bloomsday

A data de sua realização (16 de junho) é o dia em que transcorre a ação do romance Ulysses, cujo personagem central, Leopold Bloom, perambula por Dublin, em 1904. A comemoração conta com leituras, apresentações musicais e teatrais. Comemorado em diversas cidades do mundo, como Londres, Dublin e Nova York, o evento foi criado em São Paulo, em 1988, por Haroldo de Campos, que participou de sua organização até seu falecimento, em 2003. O Bloomsday paulistano inspirou outras cidades brasileiras. Hoje, o evento já acontece em cidades como Florianópolis (SC), Santa Maria (RS), Rio de Janeiro, Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS), entre outras.

 

Programa da celebração do Bloomsday no Finnegan’s Pub

Dia 16 de junho, a partir das 19h

O Bloomsday 2015, inspirado pela natureza paródica do Ulysses de Joyce e particularmente pelo capítulo correspondente ao episódio das Sereias da Odisseia de Homero, focalizará o tema desde sua origem, evocando sua presença no mundo mítico da Grécia Antiga, na própria literatura e música brasileiras – incluindo correspondentes indígenas e afro-brasileiros do mito, como a Uiara do Macunaíma, de Mário de Andrade – para chegar ao romance de Joyce, com as garçonetes-sereias do bar do Hotel Ormond, em Dublin, encarnadas por duas atrizes numa performance erótico-cômica. Compondo um coro universal, trechos do episódio também serão lidos em diversos idiomas, do hebraico ao português.
.
A música terá forte participação no evento, que contará com apresentação de gaita de foles, de música instrumental irlandesa – por duas bandas com repertório diverso – e de canções voltadas ao tema das sereias, além de uma “jam session” de encerramento, que evocará a já longa tradição do Bloomsday em São Paulo, iniciada em 1988, no Finnegan’s Pub, pelo poeta Haroldo de Campos.

 

BLOOMSDAY 2015

Tema: “O Canto das Sereias”

 

I. Abertura

- História do Bloomsday em São Paulo e o Programa 2015 – Marcelo Tápia

- Performance Sim, sim, telefone não (uma recriação do monólogo de Molly Bloom) – Mauricio Vasconcelos

 

II. “O Canto das Sereias”

- “As sereias no mundo mítico grego” – Jaa Torrano

- Leitura de fragmento (sereias) do Canto XII da Odisseia de Homero, em tradução de Haroldo de Campos – Ivan de Campos

- “Homero e Caymmi”: recitação do mesmo fragmento em grego, seguido por trecho da canção “É doce morrer no mar”, de Dorival Caymmi – Marcelo Tápia e Diego Lisboa (flauta)

- “Finismundo: a última viagem”, de H. de Campos – Donny Correia, Marcelo Tápia e Simone Homem de Mello

- Sereias em águas brasileiras – leitura de breves fragmentos de:

A ilha maldita, romance de Bernardo Guimarães – Donny Correia

O tronco do ipê, romance de José de Alencar – Lucio Agra

Dois poemas: Cecilia Meireles e Guilherme de Almeida – Marcelo Tápia

Macunaíma, romance de Mário de Andrade (“Uiara”) – Antonio Vicente Pietroforte

- Apresentação de música irlandesa instrumental – Banda Oran

- Breve apresentação do episódio “The Sirens“ (“As Sereias”), em Ulysses, de J. Joyce – Maria Teresa Quirino

- Leitura de quatro das primeiras linhas do episódio “The Sirens”, em quatro traduções ao português, seguida de breve comentário – Marcelo Tápia e Maria Teresa Quirino

- Performance: “As sereias no bar do Hotel Ormond: Miss Douce (Bronze) e Miss Kennedy (Ouro)” – Júlia Bournier e Gabriela Mafud (do grupo Teatro da Peste)

- Leitura de breve fragmento do episódio em inglês, português, francês, espanhol, italiano, alemão e hebraico:

Aurora Bernardini – italiano

Maria Teresa Quirino – português

Alzira Allegro – inglês

Eliane Fittipaldi – francês

Pérola Wajnsztejn – hebraico

Simone Homem de Mello – alemão

Tereza Jardini – espanhol

- Canções de sereias (apresentação musical) – Yun Jung Im e Maurício Bussab

- Música irlandesa instrumental: Ricardo Dias e banda

- Encerramento: “Jam session”: a tradição do Bloomsday em São Paulo – Cid Campos, Felipe Ávila, Lucio Agra, Peter Nitsch e Edvaldo Santana; leitura de trechos de Ulysses e Finnegan´s Wake – John Milton

 

Apoio: Jameson Irish Whiskey

 

Os interessados em participar das atividades devem realizar a inscrição pelos links:

http://www.casaguilhermedealmeida.org.br/programacao/ver-programacao.php?idprogramacao=200&iddata=1740

http://www.casaguilhermedealmeida.org.br/programacao/ver-programacao.php?idprogramacao=201&iddata=1741

Ou ligar para (11) 3673-1883. A entrada é gratuita.

 

.
Serviço:

Casa Guilherme de Almeida Anexo
Rua Cardoso de Almeida, 1943. Tel. 3673-1883.
Entrada Gratuita
www.casaguilhermedealmeida.org.br

Finnegan’s Pub
Rua Cristiano Viana, 358 – Pinheiros
Tel.: 11 3062-3232
Entrada Gratuita para o evento no dia 16/06
(O visitante só pagará algum valor no caso de consumação no pub)
www.finnegans.com.br

 




Comente o texto


*

Comente tambm via Facebook