Antonio Candido e Braulio Tavares


“Quando se escreve um livro, ele é traduzido, e uma crítica fala que a tradução estragou a obra, é porque não era uma grande obra. Machado de Assis, mesmo mal traduzido, continua grande. A prova de um bom escritor é que mesmo mal traduzido ele é grande. Se dizem: “a tradução matou a obra”, então a obra era boa, mas não era grande.” [Comentário de Antonio Candido, em entrevista citada no texto de Braulio Tavares, na home da Musa]